fbpx

A fisiologia do sofrimento

Existem duas vias de processamento da dor, a nociceptiva e a neuropática…

 A DOR AGUDA


1 – Do corpo humano é dotado de estruturas sensíveis à dor, os nociceptores. Eles estão nas terminações nervosas das vísceras, músculos, ossos e pele e são ativados por estímulos de três tipos: os térmicos, os químicos e os mecânicos…
.

2 – No momento em que são ativados, os nociceptores transformam o estímulo doloroso em impulsos elétricos, que são transportados até à medula. E o início da via nociceptiva (pode ser visionada na imagem onde a seta encarnada indica essa via)…

 

• Se a lesão atingir diretamente um dos milhares de neurónios espalhados pelo organismo,
o impulso elétrico será enviado para a medula,
sem o intermédio dos nociceptores. A dor passa, então,
a ser neuropática…

 

3 – Na medula óssea, a transmissão do estímulo doloroso de um neurónio para outro é modulada pelos interneurónios. A sua ação determina a intensidade da sensação de dor que é enviada ao cérebro…

4 – A partir da medula, o sinal de dor é distribuído para as seguintes regiões cerebrais:

  • No córtex, a camada mais externa e local de processamento de emoções mais complexas, ocorre a consciência da dor;
  • No hipotálamo deflagram as reações físicas à dor. A pressão arterial sobe e os batimentos cardíacos aumentam;
  • Associado ao ciclo de sono/vigília, a formação reticular, no tronco encefálico, promove o estado de alerta;
  • No cíngulo anterior, envolvido na capacidade de memória e motivação, ocorre a avaliação da intensidade da dor;
  • O córtex pré-frontal, a área mais recente do córtex em termos evolutivos e, anatomicamente, a mais sofisticada,é responsável pela tomada de decisão perante a dor;
  • •O sistema supressor endógeno, presente em todas as áreas do cérebro, liberta substâncias de controlo de dor, como serotonina, noradrenalina e ácido gama-aminobutírico (GABA).

    Em resumo:
    •A dor aguda é uma resposta a um estímulo doloroso
    • Serve de sinal de alerta para o organismo, o que teve uma importante função na evolução da espécie
    • Desaparece quando o estímulo doloroso cessa


A DOR CRÓNICA


Estímulos persistentes na medula, como uma inflamação nas articulações, ou de grande intensidade, como um trauma causado por uma cirurgia, podem provocar alterações nas células da medula, Assim, os neurónios mantêm-se hiperativos e continuam a enviar sinais de dor para o cérebro, mesmo sem a presença do estímulo doloroso.

Em resumo:

  • A dor crónica ocorre sem que haja estímulo doloroso, como acontece com boa parte das lombalgias
  • Não possui qualquer tipo de função
  • Persiste mesmo com a interrupção do estímulo doloroso e dura mais de três meses

Deixar Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.