Basquetebol conseguindo um treino melhor

Basquetebol conseguindo um treino melhor . É muito natural que  fique aquém de qualquer jogador da NBA… e não só em altura.

Um jogador profissional ganha aproximadamente 1,9 milhões de dólares por ano, mais do que em qualquer outra modalidade de equipa. E o que é que ele precisa de fazer para conseguir tanto dinheiro? Praticar a modalidade que você gostaria de ter mais tempo para praticar. O seu horário está preenchido com reuniões, almoços e conferências, o horário desse jogador está preenchido com.., jogos.

Há uns anos atrás, você perdeu todas as veleidades de vir a jogar na NBA. Ou na CBA. Ou até mesmo na liga Portuguesa de Basquetebol. E a não ser que venha a ganhar a lotaria, poucas hipóteses há de vir a deixar o seu emprego das nove às cinco para poder aperfeiçoar os seus lançamentos. Portanto, a única coisa que tem a fazer é aproveitar ao máximo o tempo que tem disponível para passar dentro das quatro linhas.
Aqui está!
Ao contrário dos profissionais, a maior parte dos homens só joga basquetebol ocasionalmente — nas manhãs de sábado, afirma Prof Paulo,  «E é por isso que pagam o preço no domingo e levam uma semana a recuperar».
Talvez não tenha tempo para encestar mais do que uma ou duas vezes por semana, mas existem coisas que pode fazer — sem ter que ser advertido — para recuperar a intensidade e rapidamente se colocar em forma.
Eis algumas dicas que pode utilizar antes do próximo desconto de tempo.

Utilize o campo todo. «A maior parte dos jogos de recuperação de bola são jogados em meio-campo, mas, se quiser treinar a matar, utilize o campo todo», sugere Tom LaGarde, antigo jogador dos Seattle Supersonics, vencedores do título em 1979, e membro da equipa de basquetebol norte-americana que ganhou a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de 1976.
«Uma das coisas mais dificeis no basquetebol é jogar em todo o campo só com duas pessoas, mas mesmo um jogo de três a três será suficiente para o pôr a mexer as pernas, treinando exaustivamente num pequeno período de tempo», diz Tom LaGarde. «Tudo o que o ponha a correr para a frente e para trás, continuadamente, permitir-lhe-á ficar em plena forma em pouco tempo».

Mexa-se como o Mike Jordan. Michael Jordan levou a arte de pontuar até nóvas alturas. Mas aquilo que fez dele o melhor jogador de todos os tempos foi a sua defesa implacável. Se até mesmo Michael Jordan está disposto a jogar à defesa qual é a sua desculpa?

«Muitos jogadores amadores, quando não têm a bola em sua posse, tendem a permanecer de pé, com as mãos nas ancas, à espera que a bola lhes venha parar às mãos», comenta Tom LaGarde.
«Mas se você só tiver uma hora e quiser tirar o melhor partido do treino, não pare de se mexer, a fim de manter o ritmo cardíaco elevado», afirma Tom LaGarde. «Jogar à defesa é uma boa solução para não ficar quieto, mas se estiver a atacar mexa-se de forma a que o jogador que está na defesa não pare também de se mexer».
Supere o relógio. A NBA utiliza um relógio de 24 segundos para manter o ritmo do jogo. Po isso, se estiver cansado de perder demasiado tempo sem tocar na bola, enquanto os outros se pavoneiam com exibições, experimente usar um relógio semelhante. Marque um tempo limite —24, 30 ou 45 segundos — para enfiar a bola no cesto, caso contrário, correrá o risco de a perder para o adversário.
Corra. Na realidade, se você quiser sobreviver a um jogo desses e a uma defesa implacável,Ron Culp sugere que corra à volta do campo três ou quatro vezes antes de começar o jogo.

«O basquetebol é um desporto anaeróbico e a única forma de conseguir ganhar rapidamente a energia de que necessita para treinar mais eficazmente e jogar melhor, é correr», diz. «Você precisa de aquecer os músculos antes de jogar, a fim de prevenir eventuais lesões e aumentar a sua resistência».

Não está muito virado para correr? «Tente ir a pé para o ginásio, em vez de utilizar um meio de transporte», sugere Ron Culp. «Ou se tenciona jogar durante a hora de almoço, desça as escadas a pé, em vez de ir de elevador». Claro que também é aconselhável correr com uma certa regularidade, para aumentar tanto a resistência anaeróbica como a aeróbica. «Se pretende jogar basquetebol — mesmo que só por uma hora — jogue na segunda-feira, na quarta e na sexta e deixe a terça, a quinta e o sábado livres para treinar a sua velocidade de ponta. O melhor a fazer para tirar melhor partido do treino de basquetebol é correr».
Alongue. Se você só tiver uma hora ou pouco mais para jogar, é natural que não queira perder 10 minutos a fazer alongamentos. Erro fatal.

«À medida que vamos envelhecendo, a primeira coisa que perdemos é a flexibilidade, razão pela qual há tanta gente que fica com as costas e os joelhos doridos no final de cada jogo», afirma Prof. Paulo. «É fundamental alongar antes e depois de cada partida.
Alongar serve para melhorar não só a flexibilidade, diminuindo os riscos de se vir a contrair uma lesão, como também para melhorar o treino, devido ao farto de o corpo estar mais preparado para aguentar o jogo». Prof. Paulo sugere que se dê uma atenção particular à região lombar, músculos posteriores da coxa, virilhas, tendões e calcanhares de Aquiles, com uma série de alongamentos para aumentar a amplitude de movimentos.

Faça como o Carl Lewis. «Se quiser melhorar o seu salto em altura e fortalecer as pernas, pratique o seguinte movimento>, sugere Mike Bnmgardt, preparador físico dos San Antonio Spurs da NBA. Ponha-se de pé com os joelhos ligeiramente dobrados e os braços descaídos e dê um salto para a frente, tão grande quanto poder. Na altura em que estiver prestes a tocar no solo — com os joelhos dobrados para absorver o impacto — salte de novo, desta vez levantando os braços por cima da cabeça, de modo a se elevar o máximo que puder. Faça o segundo salto tão rápido quanto possível para aumentar a velocidade e força. Repita 8 a 10 vezes.

 

 

 

Treino misto — Dica

Se jogar bastante basquetebol é muito provável que lhe venha a acontecer uma destas duas situações: acabar numa caixa de Wheaties, com o seu retrato como imagem de marca, ou num consultório de um ortopedista.
«Deixei de jogar por causa dos joelhos. Tal como é do conhecimento da maior parte dos jogadores, o basquetebol exige muito dos joelhos», afirma Tom LaGarde, antigo Jogador dos Seattle Supersonics. «E isso coloca-o num dilema: afastar-se do campo para que os joelhos não fiquem piores, deixando assim de poder contar com a possibilidade de fazer os exercícios aeróbicos necéssários para poder jogar, ou praticar este desporto e lesionar os joelhos, situação que o impedirá de jogar durante um longo período e, de novo, ficar sem a possibilidade do praticar os exercícios aeróbicos necessários».
Mas Tom LaGarde sugere uma terceira opção, que o ajuda a salvaguardar tanto os joelhos como o jogo: os patina em linha. «Patinar proporciona uma excelente alternativa para qualquer desporto, especialmente o basquetebol, se estivermos interessados num treino misto». É tão bom que criou a National In-Line Basketball League (NIBBL) «, com equipas oriundas de muitas cidades dos Estados Unidos e do Canadá. E possível jogar um jogo normal de basquetebol com patins em linha, poupando desta forma os joelhos e melhorando o jogo «normal».

Deixar Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.