Doentes de Asma têm a doença controlada?

Asma. Maior parte dos doentes tem a doença controlada

Comemorou-se na terça-feira, dia 3 de maio, o Dia Mundial da Asma, subordinado ao tema podes Controlar o tua  asma. O objetivo da data foi estimular os doentes a terem uma vida sem limitações.

A asma é uma doença inflamatória crónica que afeta as vias aéreas e que resulta do estreitamento dos brônquios, o que faz com que o ar entre e saia dos pulmões com mais dificuldade. De acordo com Luís Araújo, da Associação Portuguesa de Asmáticos, “a doença afeta maioritariamente as crianças e os jovens, mas pode aparecer em qualquer idade. Apesar de não existir uma causa concreta para o seu aparecimento, sabe-se que existe uma certa predisposição genética para a sua manifestação”.

São vários os sintomas da doença, nomeadamente dificuldade em respirar (dispneia), ruído parecido com um assobio ao respirar (pieira), aperto torácico e tosse, sendo que de acordo com este alergologista, “no caso das crianças, deve ter-se em atenção se estes fatores aparecem quando elas estão em esforço e se ocorrem durante, a noite, a ponto de estas acordarem”. Nesses casos é recomendável a visita a um médico, para que a despistagem da doença possa ser feita precocemente. Feito o diagnóstico, é essencial controlar a asma através de medicação adequada, uma vez que existem diferentes tipos de asma e múltiplos fatores desencadeantes da doença.

 

“Entre os principais fatores desençadeantes da doença o ‘pior’ talvez seja o fumo do tabaco, pelo que é totalmente desaconselhado a um doente asmático fumar, inalar o fumo do tabaco de outras pessoas ou frequentar locais com muito fumo”. Importante será referir que a asma não tem cura, embora por vezes desapareça durante a adolescência, principalmente no caso das crianças que não são alérgicas, que não têm uma história familiar de doença e que não apre-sentam alterações significativas na função respiratória. No entanto, tendo alguns cuidados e fazendo a medicação recomendada é possível controlar a doença, o que faz com que atualmente a maior parte dos asmáticos consiga levar uma vida perfeitamente normal.

 

Dados confirmados pelo ‘ Inquérito Nacional sobre Asma (INASma), levado a cabo em 2010 pela Direcção-Geral da Saúde (DGS), cujos resultados concluem que 57 por cento dos doentes tem a doença devidamente controlada. Na tentativa de desmistificar alguns dos mitos vulgarmente associados à doença, especialistas realça que “a ideia de que a prática desportiva é nefasta para a saúde destes doentes, é totalmente errada. Além de todas as vantagens associadas à prática desportiva, no caso dos doentes asmáticos, nomeadamente das crianças, há ainda uma vantagem psicológica, porque fazem com que estas não se sintamdiferentes”.

 

TIPOS DE ASMA

Diferentes graus de gravidade.

A asma é uma doença inflamatória crónicas que pode ter vários graus de gravidade, variando de pessoa para pessoa e de situação para situação, consoante a frequência e a intensidade dos sintomas e a necessidade de recorrer a medicamentos.

-Grau 1: Asma intermitente – Os sintomas surgem menos do que uma vez por semana ou o doente acorda com os sintomas duas ou menos vezes por mês.

– Grau 2: Asma persistente ligeira – Os sintomas surgem uma ou mais vezes por semana. O doente acorda com os sintomas durante a noite mais do que duas vezes por mês.

-Grau 3: Asma persistente sintomas são diários. O doente acorda com os sintomas durante a noite mais do que uma vez por semana e necessita de utilizar diariamente inaladores. As crises afetam a sua qualidade de vida, impedindo-o de levar uma vida normal.

Grau.4: Asma persistente grave – Os sintomas são permanentes. O doente acorda frequentemente com tosse ou problemas respiratórios durante a noite, e a sua actividade diária encontra-se limitada.

FACTORES DESENCADEADORES

São vários os fatores desencadeantes da asma; uns são comuns a todos os asmáticos e outros podem provocar crises de uma forma mais individual, nomeadamente os alergénios.

Entre os fatores desencadeantesmais comuns encontram-se:

• Infeções causadas por vírus, tais como gripes e constipações;

• Alergénios, tais como ácaros, pelos de animais e pólenes;

• Emoções fortes, tais como medo, angústia e excitação;

• Poluição ambiental;

• Fumo de tabaco;

• Mudanças bruscas de temperatura;

• Alguns alimentos..

 

Deixar Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.