fbpx

MÉTODOS PARA DETERMINAR A PERCENTAGEM DE GORDURA CORPORAL

Em honra da verdade, há que dizer que todos os métodos aplicados para medir a percentagem de gordura corporal têm uma margem de erro que pode variar entre 2 e 5%.
No entanto, de certo modo há que medir a gordura… Há muitos mais métodos, mas os seguintes são os mais utilizados:

 

Método do peso de baixo de água (hidrodensitometria)

Inventado por Arquímedes, trata-se do método mais preciso para calcular a densidade, a gordura e a massa magra de um corpo, com apenas 2% de erro. Utiliza-se pouco pois é o mais complicado de realizar. Leva-se a cabo submergindo um corpo na água. Calcula-se medindo a diferença entre o peso do desportista na balança e o seu peso debaixo de água, que depois de corrigidos alguns parâmetros é igual ao volume do corpo.

 

.
Pregas subcutâneas (Lipometria)

Trata-se do método mais usado para medir a percentagem de gordura, tem uma margem de erro que vai dos 3 aos 4 % e o inconveniente de exigir a ajuda de outra pessoa para ser realizado. Baseia-se na ideia de que quando engordamos a gordura se acumula no tecido adiposo que se encontra debaixo da pele. Esta gordura subcutánea pode ser beliscada com os dedos, medindo-se o seu comprimento. A medição correcta faz-se com um aparelho medidor, ou pinça, que mede a grossura das pregas subcutâneas que se formam ao “beliscar” a pele, sem alcançar o músculo.

O modo mais simples de realizá-lo é fazer, nas mulheres, um mínimo de três medições nos triceps, no abdómen e nas ancas e, nos homens, quatro medições no peito, no abdómen, nas axilas e nas ancas. Se for desportista, necessitará de uma medição mais completa, na qual lhe medirão mais pregas nas omoplatas, na cintura, nos glúteos, nas coxas e nos gémeos. Depois repetem-se as medições três a quatro vezes para encontrar uma média. Esta prova deve ser realizada por uma pessoa especializada pois os valores podem mudar notavelmente se for levada a cabo de modo incorrecto ou por um leigo. Uma vez obtidos os valores, aplicam-se numa fórmula ou equação que dá a percentagem de gordura total.

 

Bioimpedânda eléctrica

impedancia2É o método mais cómodo e moderno, com uma margem de erro de 3 a 4%. Tem a vantagem de poder ser realizado em casa sem qualquer ajuda, com um aparelho que envia uma corrente eléctrica muito débil aos tecidos e analisa a resistência à passagem da electricidade do corpo. Baseia-se no facto da gordura apenas conduzir a electricidade, enquanto que o músculo só o faz porque concentra mais uma maior percentagem de água do que a gordura. A diferença de condução de uma baixa voltagem através do corpo serve para calcular a percentagem de gordura corporal e os quilos de gordura de uma pessoa.

O aparelho tem as suas limitações, uns medem a gordura na parte superior do corpo e outros medem a da parte inferior. Como a capacidade de condução da corrente eléctrica depende do grau de hidratação e da densidade óssea, não é fiável em crianças e em idosos, em casos de edema, gravidez, aleitamento, febre ou diálise. Também varia após um exercício físico muito intenso, uma sauna, após comer ou beber álcool e durante o ciclo menstrual.

 

Os cálculos das avozinhas

Já está mesmo curioso em saber qual é a sua percentagem de massa corporal? Um modo simples, embora não exacto, de calcular a sua percentagem em casa reside em medir com uma fita métrica o contorno da sua cintura e dividi-lo pelo valor do contorno das ancas, multiplicando depois por 100.

% de gordura =cm de cintura / cm de ancas x 100

Por exemplo, se a sua cintura medir 70 cm e as suas ancas 90 cm, a sua percentagem de gordura será de 7% (70/90 x 100)
A percentagem de gordura mais habitual e saudável deve encontrar-se entre 6 e 8%, como no exemplo. Valores abaixo ou acima destes parâmetros indicam um problema de magreza ou de excesso de peso e nesse caso deverá recorrer a um especialista.

 

gordura

 

 

DOIS EXTREMOS PARA A MESMA PERCENTAGEM

Imagine dois atletas de elite com a mesma altura (1.75 cm) e a mesma percentagem de gordura corporal (por volta dos 5%). Ao lado um do outro pareceriam o Bucha e o Estica… mas as aparências iludem:

  • O primeiro é Lançador de pesos e pesa 100 kg e tem uma percentagem de gordura corporal de 6%.
  • O segundo é maratonista, pesa apenas 55 kg e a sua percentagem de gordura corporal é de 5%.

Imagine que estes atletas fizeram um exame médico através da Internet. Para conhecer o seu índice de massa corporal (IMC), o especialista apenas lhes perguntaria o seu peso e a sua altura pois o IMC calcula-se dividindo o peso em quilos pelo quadrado da altura (em metros).
O nosso Lançador de pesos obteria um valor de IMC de 32, 65, que ultrapassa a margem de obesidade, e o médico recomendar-lhe-ia que perdesse peso para evitar problemas de saúde.
Ao invés, o nosso maratonista obteria um valor de IMC de 17,9, abaixo do peso normal no que toca a magreza perigosa. O médico  recomendar-lhe-ia que ganhasse quilos e suspeitaria de um transtorno alimentar (anorexia, bulimia,etc.)

No entanto, ambos os atletas se encontram dentro dos parâmetros da normalidade no que toca o mundo do desporto. O que realmente importa para melhorar o rendimento e especialmente para estarem saudáveis é a percentagem de massa corporal e nem um nem outro têm motivos de preocupações.

Deixar Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.