Os erros do treino

Negar a dor provoca Lesões. Há que parar aos primeiros sintomas.
• Os despiques durante os treinos trazem mais frustrações do que satisfações. Treinar sempre no limite faz com que o rendimento seja menor na competição. Há que ser frio e metódico e competir somente quando usamos o dorsal.
• Não descansar só pode trazer problemas. Quanto maior for a intensidade do esforço no trabalho, menor deve ser no treino. O ideal é intercalar sessões suaves entre as mais rigorosas e descansar antes da competição.
• Não fazer alongamentos provoca lesões. Os alongamentos são fundamentais. Dez a quinze minutos diários são o suficiente para melhorar o rendimento.
• Comer pouco diminui o rendimento.

 

correr

•  já sabe, os erros pagam-se

• Percursos demasiados longos: podem provocar tendinites se não forem feitos de forma gradual e progressiva.

• Sessões muito intensas: não são aconselhadas a atletas com pouca experiência, que não tenham uma boa base de quilómetros e semanas de treino. De contrário as lesões surgem facilmente.

• Aquecimento mal feito: Se se esforça demasiado enquanto está frio, pode contrair rupturas musculares. Por falta de tempo e por preguiça costumam eliminar-se partes do treino que servem para aquecer, começando o treino com muito esforço, o que provoca distensões musculares.

• Correr demasiado em superfícies inadequadas: Correr em excesso sobre superfícies duras, como o asfalto e o cimento, dá origem a problemas de joelhos ou de calcanhares, devido à repetição de impactos de alta magnitude. O contrário também acontece quando se corre muito em superfícies macias, como a areia. Nestes casos, a instabilidade do terreno provoca lesões nos tornozelos.

• Excesso de competições: não é aconselhável competir mais de 24 vezes por ano. O ideal são de 10 a 15. As exigências a que se submete o corpo são muito maiores em competição do que em treino, o que implica maior risco de lesões.

• Falta de recuperação: Se não se têm em conta os horários de trabalho e a disponibilidade de tempo de cada um e não se descansar o suficiente, corre-se o risco de sofrer um esgotamento muscular e, se não se pára logo, uma lesão.

• Falta de recuperação a seguir a uma lesão: É preciso cuidado para não cair no estado de “síndrome de abstinência do corredor”, que induz uma recuperação muito rápida. Se a recuperação não for total e bem feita, é garantido que voltará outra lesão, desta vez com o risco de tornar o problema crónico.

Deixar Comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.